Make your own free website on Tripod.com
FRAUDES EM CONDOMINIOS
Home | About Us | Our Services | Contact Information

FISCALIZE SEU CONDÔMINIO PARA NÃO DANÇAR DEPOIS!
girlbaby144x.gif

ATENÇÃO LOCATÁRIOS

 

(*) O § 4º da Lei 8245 de 18/11/91 foi alterado pela Lei 9.267 de 25/03/96 e passou a ter a seguinte redação:
§ 4º - Nas Assembléias que não envolvam despesas extraordinárias do condomínio, o locatário poderá votar, caso o condômino-locador a ela não comparareça.

 

OBS: SENHORES LOCATÁRIOS NÃO FUJAM DA REUNIÃO ORDINÁRIA PARA A APROVAÇÃO DE CONTAS DO CONDÔMINIO.

ATENÇÃO CONDÔMINOS E LOCATÁRIOS VERIFIQUE SE O SÍNDICO FAZ ISSO CONFORME ABAIXO:
 
  1. ENVIA CONVOCÁRIA PARA REUNIÃO ATRAVÉS DE CARTA REGISTRADA OU ATRAVÉS DE DOCUMENTO PROTOCOLADO, DESDE QUE AJA A ASSINATURA DO CONDÔMINO, VISTO QUE QUEM TEM QUE PROVAR QUE CONVOCOU É O PRÓPRIO SÍNDICO E NÃO O CONDÔMINO.
  2. O SÍNDICO É OBRIGADO POR LEI A ENVIAR COMUNICADO AOS CONDÔMINOS DAS DECISÕES TOMADAS EM ASSEMBLEIA NO PRAZO DE 08 DIAS. OBS: BASTA UM CONDÔMINO NÃO SER CONVOCADO PARA SE PEDIR A ANULAÇÃO DA ASSEMBLÉIA.
  3. O SINDICO É OBRIGADO POR LEI A CONVOCAR A ASSEMBLÉIA ORDINÁRIA ANUAL, VEJA O QUE DIZ A LEI ABAIXO:
  • Art. 1.350. Convocará o síndico, anualmente, reunião da assembléia dos condôminos, na forma prevista na convenção, a fim de aprovar o orçamento das despesas, as contribuições dos condôminos e a prestação de contas, e eventualmente eleger-lhe o substituto e alterar o regimento interno.

    § 1o Se o síndico não convocar a assembléia, um quarto dos condôminos poderá fazê-lo.

    § 2o Se a assembléia não se reunir, o juiz decidirá, a requerimento de qualquer condômino.

OBS: EXISTEM OS SÍNDICOS HONESTOS MAIS TAMBÉM EXISTEM OS MAUS INTENCIONADOS OU SEJA OS FAMOSOS PICARETAS! 

O SINDICO CORRUPTO
bp1898.jpg

CONHEÇA A FORMA QUE OS ESPERTALHÕES ENCONTRARAM PARA LESAR NÓS OTÁRIOS!
 
 
ATENÇÃO CONDÔMINOS CUIDADO COM O DESCONTÃO NOS CONDOMÍNIOS! COM A ENTRADA DO NOVO CÓDIGO CIVEL, E A REDUÇÃO DA MULTA QUE ANTES ERA DE 20% E FOI REDUZIDA PARA 2%, ALGUNS CONDÔMINIOS CRIARAM O FAMOSO DESCONTO POR PONTUALIDADE, NESSE PAÍS SEMPRE TEM OS ESPERTALHÕES QUE BURLAM A LEI NA MAIOR CARA DE PAU!
 
DICA PARA ACABAR COM ESSE ABUSO: OS PRÓPRIOS CONDÔMINOS SE REUNIREM E FAZEREM UM ABAIXO ASSINADO PARA ACABAR COM ESSA ILEGALIDADE!
 
OBS: CONDÔMINOS INTERESSADOS FAVOR ESCREVER PARA E-MAIL: integration95@hotmail.com
 
OBS: FAVOR ENVIAR NOME E NÚMERO DO AP PARA FAZERMOS UM ABAIXO-ASSINADO E ACABAR DE VEZ COM O DESCONTÃO! INCLUSIVE ESSA PRÁTICA É CONDENADA PELAS PRÓPRIAS ADMINISTRADORAS DE CONDOMÍNIOS!
 
OBS: OUTRA SAIDA É DIVULGARMOS O NOME DAS ADMINISTRADORAS E DOS CONDOMÍNIOS QUE UTILIZAM ESSE PRÁTICA ENGANOSA PARA LESAR OS CONDÔMINOS E DIVULGAR NOS MEIOS DA IMPRENSA OU EM SITES NA INTERNET.
 
1 - Pode o condomínio implantar o sistema de desconto pelo pagamento antecipado da cota condominial? 
 - Não, o “desconto pontualidade”, conhecido também por “cláusula de bonificação”, tendo em vista predominar o entendimento, na doutrina e na jurisprudência, de que tal medida caracteriza burla da lei, isto é, uma aplicação de multa moratória, mascarada, acima do limite permitido (superior ao limite de 2% fixado pelo art. 1.336, § 1°, do novo Código Civil).

FONTE: Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia:: -

9.6. É LÍCITO CONCEDER DESCONTOS ELEVADOS PARA PAGAMENTO EM DIA DAS DESPESAS DE CONDOMÍNIO? QUAL O PERCENTUAL MÁXIMO DE MULTA PERMITIDO?

Esse questionamento merece estudo mais detalhado. A Lei 4.591/64, em seu artigo 12, § 3o, estipulou um teto para a imposição de penalidade pela mora no pagamento, em 20% sobre o valor do débito atualizado e que hoje a multa é de 2%. 

Logo, qualquer majoração nesse percentual de multa constitui infração à lei. Que dizer então de um desconto substancial concedido para pagamento pontual? Ora, a pontualidade do pagamento já é regra natural das obrigações, tanto que estabelecida multa para o pagamento efetuado a destempo.

SÍLVIO DE SALVO VENOSA, ao discorrer sobre a Lei do Inquilinato, por ocasião de sua edição, já identificava uma tentativa de burla que vinha da legislação passada, em relação à concessão de desconto elevado para pagamento do aluguel com pontualidade, situação esta análoga à da prestação do condomínio, que conduz às mesmas conclusões:

"Converteu-se em prática generalizada estipular-se no contrato que o locatário gozará de certo desconto se efetuar o pagamento antecipadamente, antes de determinado dia. Embora existam opiniões em contrário, as quais entendem que aí existe um verdadeiro incentivo para a pontualidade e pagamento antecipado, temos para nós que as partes aí erigem uma cláusula penal ao inverso."

E a jurisprudência, atenta às práticas irregulares, tem servido de instrumento regulador e protetor do equilíbrio contratual, versando:
CONDOMÍNIO - DESPESAS - CONDOMÍNIO - MULTA - COTAS CONDOMINIAIS - DESCONTO DE 45%. MULTA - O desconto de 45% concedido pelo condomínio para o pagamento das cotas condominiais efetuado até o dia 05 do mês equivale à imposição de uma multa para os pagamentos efetuados após essa data. Provimento parcial do recurso para excluir do débito o acréscimo de 45%, referente ao pagamento efetuado após o dia 05 de cada mês. (TACRJ - AC 6540/95 - (Reg. 4227-3) - 8ª C. - Rel. Juiz Cássia Medeiros - J. 11.10.1995 - Ementa 41327 - in Juris Síntese 11002243).

MANDE SUAS SUGESTÕES E RECLAMAÇÕES PARA:
 
 
NOME: JOVALMO
 
OBS: LEMBRE-SE SÍNDICO NÃO MANDA EM NADA. QUANDO O SÍNDICO COMETE ABUSOS OU DESRESPEITA A LEI, OS PRÓPRIOS CONDÔMINOS PODEM CONVOCAR REUNIÃO OU FAZEREM ABAIXO ASSINADO PARA COLOCAR A CASA EM ORDEM!
 
OBS: A LEI DIZ QUE QUALQUER CONDÔMINO PODE CONVOCAR REUNIÃO, BASTA REUNIR 1/4 DOS CONDÔMINOS.
OBS: O condômino que não concorde com um acto do administrador pode convocar a assembleia para recorrer desse acto. 

VOCÊ SABIA? O SINDICO NÃO É DONO DO CONDOMÍNIO E NÃO PODE FAZER O QUE QUER...PRINCIPALMENTE COM A GRANA ALHEIA

CONDÔMINOS E LOCATÁRIOS SOLICITEM A CÓPIA DOS DEMONSTRATIVOS DE DESPESAS E RECEITAS SEMPRE DO SINDICO OU ADMINISTRADORAS MENSALMENTE, POIS ESSE PROCEDIMENTO FACILITA O ACOMPANHAMENTO DAS CONTAS DOS CONDOMÍNIO.
 
  • FAÇA VALER OS SEUS DIREITOS
  • SINDICOS E ADMINISTRADORAS TEM QUE TER TRASPARÊNCIA
  • O BALANCETE TEM QUE SER DETALHADO E NÃO DEIXAR DÚVIDAS

OBS: A FISCALIZAÇÃO DE TODOS INIBE A AÇÃO DOS MAUS INTENCIONADOS, FIQUE DE OLHO! EXISTE SINDICOS HONESTOS É CLARO! MAIS OS SAFADOS TAMBÉM! QUE METEM A MÃO MESMO NA GRANA, SUPERFATURAM SERVIÇOS, RECEBEM PROPINAS POR DEBAIXO DO PANO, TODO CUIDADO É POUCO!

OBS: A MAIORIA DOS SINDICOS SÓ FALAM NA INADIMPLÊNCIA, MAIS NUNCA FALAM DE DESVIO DE RECURSOS DO CONDÔMINIO E NEM DAS PILANTRAGENS QUE OCORREM POR DEBAIXO DO PANO!

OBS: NUNCA JOQUE OS BALANCETES FORA! UM BALANCETE ISOLADO NÃO SIGNIFICA MUITO, MAIS QUANDO COMPARADOS COM OUTROS PODE SE DESCUBRIR MUITAS FALCATRUAS!

ATENÇÃO CONDÔMINOS
 
AO PAGAR A SUA TAXA CONDOMINIAL NUNCA PAGUE DIRETAMENTE NA MÃO DO SINDICO, ADVOGADO OU ADMINISTRADORA DE CONDOMINIO, VISTO QUE EM MUITOS CASOS EM QUE O PAGAMENTO É EFETUADO DESSA FORMA, MAIS O SINDICO OU ADMINISTRADORA NÃO DEPOSITAM NA CONTA DO CONDOMINIO, E É AI QUE O DINHEIRO É DESVIADO. POIS EXISTEM PESSOAS HONESTAS PORÉM EXISTEM TAMBÉM OS SAFADOS!
 
SOLUÇÃO: TODO PAGAMENTO DEVE SER FEITO DIRETAMENTE NA CONTA DO CONDOMINIO, OU ATRAVÉS DO BOLETO BANCÁRIO E JAMAIS DIRETAMENTE AO SÍNDICO. DESCONFIE QUE SÍNDICOS OU ADMINISTRADORAS DE CONDOMÍNIO ATUAM DESSA MANEIRA, EM MUITOS CASOS OFERECEM ATÉ LIBERAÇÃO DOS JUROS, E O CONDÔMINO ACABA CAINDO NA TENTAÇÃO, E É AI QUE O DINHEIRO É DESVIADO, NÃO ENTRANDO NA CONTA DO CONDOMÍNIO E O CONDÔMINO ACABA SENDO LESADO.
 
OBS: É CLARO QUE EXISTEM PESSOAS HONESTAS, NÃO VAMOS GENERALIZAR PESSOAL MAIS TEMOS OS SAFADÕES E NÃO SÃO POUCOS ESPALHADOS POR ESSE BRASIL AFORA.

VEJA ALGUMAS DICAS DO PROCON PARA EVITAR FRAUDES - QUEM APROVA AS CONTAS DO SINDICOS SÃO OS CONDÔMINOS, SE OS CONDÔMINOS NÃO APROVAM O SINDICO FAZ O QUE QUER...DEITA E ROLA..
 
Dicas para diminuir valor das despesas e evitar riscos
 
- Utilizar racionalmente a água, evitando desperdícios e vazamentos. Limpar caixas d'água regularmente e tratar a água das piscinas. Cadastrar a edificação por unidade familiar na Sabesp.
 
- Vistoriar periodicamente a parte elétrica, hidráulica e de gás da edificação.
 
- Verificar o cumprimento das normas municipais e estaduais quanto à segurança da edificação.
 
- Realizar pesquisas de preços na aquisição de produtos, principalmente de limpeza, guardando-os em local seguro; fiscalizar as retiradas, evitando, dessa forma, furtos, desvios ou desperdícios.
 
- Analisar previamente os contratos, inclusive os de prestação de serviços que forem assinados em nome do condomínio.
 
- Exigir a emissão de notas fiscais ou recibos em nome do condomínio, quando da compra de materiais e execução de serviços.
 
- Manter atualizados e em local seguro os livros contábeis, notas fiscais e recibos que comprovem pagamentos.
 
- Evitar atraso no pagamento de contas, que pode acarretar multas e prejuízos financeiros.
 
- Proceder a todos os registros realizando e documentando todos os pagamentos oriundos dos contratos de trabalho dos funcionários.
 
- Solicitar periodicamente junto aos órgãos governamentais, certidões negativas inclusive previdenciárias.
Lembre-se: Para fazer valer os seus direitos, os condôminos (inquilinos ou proprietários) devem participar efetivamente das assembléias, cumprir as deliberações, respeitar e conviver com harmonia.  
 
FONTE: PROCON

CONDÔMINOS NÃO DEIXEM DE IR AS REUNIÕES EM SEU CONDOMINIO

 

 

Não deixe de ir as reuniões de condomínio, pois medidas que encarecem o condomínio podem estar sendo aprovadas. Confira autenticações de comprovantes de pagamentos. Imponha auditorias nas prestações de contas. Não é raro ocorrer fraudes em condomínios, o dinheiro é uma tentação;

 

 

COMO SABER SE O SINDICO COMETE FRAUDE!
 
 
Fonte : Jornal Estado de São Paulo
Caderno: Imóveis
 
 

A corrupção nos condomínios é comum e pode ser evitada com a vigilância dos moradores

Casos de corrupção em condomínio são comuns em prédios da capital e podem ocorrer de diferentes maneiras, mas sempre com prejuízo para o morador. Envolvem desde a administradora isoladamente até síndico, fornecedores e funcionários do prédio em cumplicidade. Só em 1999, de acordo com a advogada especializada em direito do Condomínio, Maura de Souza Andrade, foram levantados pelo INSS casos de quatro administradoras de São Paulo que lesaram em até R$ 80 mil cada um dos 300 prédios gerenciados por elas. "Os comprovantes de pagamento do INSS eram falsificados", conta. Essa é apenas uma modalidade de fraude. Para que o condômino se previna, por exemplo, de superfaturamento nas mensalidades, a dica, segundo os especialistas, é conferir os balancetes mensalmente e, em caso de dúvida, acessar o livro-caixa, documento que deve estar à disposição de todos os moradores e conter a descrição detalhada dos orçamentos. "Muitas das irregularidades podem ser evitadas se o habitante ficar atento às contas e participar das assembléias", diz Rosely Schwartz, autora do livro Revolucionando o Condomínio, da Editora Saraiva. Segundo ela, as reuniões anuais são as mais importantes, quando há a aprovação de orçamento e faz-se a prestação de contas. O síndico corrupto pode onerar notas fiscais, tirar dinheiro do fundo de reservas, que é usado só em caso de emergência, ou não especificar as contas a pagar. Para a consultora, porém, quando os fraudadores percebem que estão lidando com pessoas conscientes, cometem menos irregularidades. Comissão - No caso de o prédio ser gerenciado por uma administradora, uma providência a ser seguida é checar a idoneidade da mesma, verificando se tem tradição no mercado, quais são os sócios e fazer o levantamento cadastral deles. "Além disso, os condôminos devem ficar atentos às licitações na hora da prestação de serviços", aconselha o presidente da Associação das Administradoras de Bens e Imóveis e Condomínios (Aabic), José Roberto Graiche. O certo é levantar preços em cerca de cinco lugares. Contudo, na maioria dos casos, os moradores só ficam sabendo que o serviço foi realizado após o término do mesmo. Um fornecedor de tintas, que não quis se identificar, diz que cerca de 50% dos síndicos e administradoras que pedem orçamento querem comissão de 5% a 10%. "As administradoras são piores, pois têm seus fornecedores e indicam só aqueles."A diferença acaba sendo paga por quem mora no prédio. Há casos em que os valores de concorrência são aprovados pelos moradores e, ainda assim, o fornecedor é obrigado a pagar uma porcentagem. "Do contrário, perde-se o serviço", diz o fornecedor.

CORRUPÇÃO DENTRO DE CASA
Situações ocorridas em alguns prédios de S. Paulo

Caso 1
Moradora de um prédio na região sul da capital, M., 71 anos vive em condomínio de classe média com oito apartamentos por andar. Suspeitando de irregularidade nos balancetes, prontificou-se a fazer um curso sobre administração de condomínios durante um mês. "Precisava entender a situação e queria questionar de forma sensata o que está ocorrendo no meu condomínio". Ela paga R$ 450,00 de mensalidade em um prédio que segundo a moradora, não há serviços adicionais. Esta é a terceira administração da mesma síndica. A maioria dos moradores não comparece às assembléias, por isso a situação não se modifica. "É uma máfia no qual todos se beneficiam". A administradora do condomínio pertence ao filho da síndica.

Caso 2
No Flat onde K. mora o porteiro ganha salário de "executivo", segundo ela. Desde de que se mudou, há seis anos, ela percebeu que os funcionários, síndico e administradora estavam envolvidos em esquema de fraudes e superfaturamento. Desconfiada ela começou a questionar os balancetes em seguida vieram as ameaças. O cano de gás foi cortado, obrigando a comprar fogão elétrico. Apareceram pichações na porta da casa e os pneus do seu carro foram furados. "Não tenho provas mas sei quem são eles querendo colocar um morador contra o outro." Desse forma dissipa-se a atenção das falcatruas, acredita. Para piorar, ela afirma que colocaram cartazes nos corredores e elevadores dizendo que era "encrequeira". No fim do ano passado , K procurou uma advogada para buscar de alguma forma, mobilizar quem vive no local. O profissional aconselhou-a gravar todas as reuniões ordinárias e extraordinárias e, caso comprovasse a prova de um crime fosse para delegacia denunciar. Na opinião do advogado esta seria a única solução viável no momento. "Do jeito que esta a situação, ela corre até risco de vida."

Caso 3
Durante dois anos, moradores de um prédio de 28 apartamentos na zona norte nunca tiveram problemas com a administradora. Há cerca de três meses a Sabesp cortou a água do prédio,. Desconfiado o síndico foi ao endereço no qual constava a administradora. Não havia nem um escritório no local. Os pagamentos dos serviços básicos prestados estavam atrasados. "A autenticação mecânica era falsa" afirma uma moradora. De emergência, os condôminos desembolsaram duas parcelas de R$ 250,00 para que não fossem cortadas água e luz e para segurança e manutenção do condomínio. A dívida acumulada está em R$ 8 mil. Os moradores fizeram um Boletim de Ocorrência e esperam por ressarcimento. No entanto, há dois meses, testemunhas afirmam que viram o dono da administradora fechando tudo às pressas, de madrugada.

Caso 4
Há seis meses quando se mudou para um prédio na zona oeste, o economista D, constatou que os balancetes estavam pouco detalhados e faltava transparência nas especificações .
Aos poucos,.D, levantou um documento que continha cinco páginas de dúvidas e encaminhou para a síndica, atualmente na terceira gestão." Quando conversei com o encanador ele admitiu que deu um "agrado à ela".A maioria das obras, segundo D, foram feitas sem licitação. No caso deste condomínio, os moradores iniciaram um processo de negociação.
A cada 15 dias uma comissão reune-se com a síndica para prestação e esclarecimento de contas. "Quando a mensalidade aumenta um pouco por vários meses, as pessoas não costumam fazer a conta de quanto significa para cada um e para todo o prédio" comenta.
Muitas vezes, segundo ele, é um prejuízo considerável.

A GESTÃO CONDOMINIAL

 

A gestão condominial vem sendo motivo de grande preocupação dos condôminos e síndico de edifícios residenciais e comerciais. Problemas como a falta de registros de operações, apropriação indébita, superfaturamentos, favorecimento a fornecedores, recebimentos de comissão ou conluio, são preocupações contínuas de quem  não participa diretamente da gestão de seu condomínio.

Fraude

"Apropriação indébita. Art. 168 par. 1. inciso II c/c art. 71, todos do Codigo Penal. Crime da síndica e da sua eventual substituta, apropriando-se mensalmente das taxas condominiais do edifício onde eram proprietárias, deixando de pagar vultosa importância de taxa d'água (Cedae) e luz, passando os condôminos pelo constrangimento de terem esses serviços interrompidos por falta de pagamento, como ficou constatado pelo levantamento feito por uma comissão de condôminos e por uma empresa de auditoria, constatando um desfalque de mais de R$ 80.000,00, valor esse cujos comprovantes de despesa deixaram de ser apresentados." TJ-RJ, 28/10/1999

"Comete crime de apropriação indébita o síndico que não apresenta justificativa possível para o fato de o balancete ostentar saldo credor, mas o dinheiro não é encontrado no caixa do condomínio." TJ-RJ,22/09/2000

VEJA COMO EVITAR AS FRAUDES NOS CONDOMINIOS
 

Cuidado com fraudes

O primeiro indício de fraude ou de uma má administração é o aumento exagerado das mensalidades do condomínio, ou o fato de a mensalidade ser sistematicamente maior do que em condomínios semelhantes. As irregularidades podem envolver a empresa administradora, o síndico e funcionários, atuando isoladamente ou em conluio. A prática mais comum é o superfaturamento de serviços, podendo haver também notas falsas (referente serviços não prestados) e saque ilegal de fundo de reserva.

Há síndicos que exigem comissões para contratar um serviço. Algumas administradoras, por sua vez, possuem fornecedores fixos e só contratam os seus serviços, independentemente de preço, o que também pode estar escondendo um desvio de recursos do condomínio. Por isso, é importante verificar a idoneidade da administradora e de seus sócios. E garantir que na contratação de serviços sejam feitos pelo menos cinco orçamentos.

A fraude em condomínios pode ser evitada com a vigilância dos moradores. O primeiro passo é conferir os balancetes e o livro-caixa mensalmente. Estes registros devem estar à disposição dos moradores e conter a descrição detalhada do orçamento. O morador deve verificar os gastos e participar das assembléias, especialmente nas reuniões de aprovação de orçamento e prestação de contas. Os fraudadores cometem menos irregularidades quando percebem que os moradores estão atentos.

Se a consulta ao balancete e ao livro-caixa for insuficiente, a sugestão é tirar, uma vez por ano, Certidões Negativas de Débitos (CND) do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) e do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) do condomínio. As contas de água e energia são fáceis de controlar pois, em caso de não-pagamento, há o corte desses serviços.

Caso o síndico se recuse a prestar contas, os condôminos podem convocar uma assembléia. A última alternativa seria entrar com uma ação na Vara Cível, exigindo prestação de contas, o que exige a contratação de um advogado. Mover ação de indenização contra o síndico ou a administradora pode ser desgastante para o condômino. O processo pode demorar até três anos apenas em primeira instância. Se existirem provas documentais constatando fraude, uma ação penal pode ser movida, por estelionato, apropriação indébita e/ou falsificação ideológica. Tudo custa tempo e dinheiro. Por isso, o melhor a fazer é tentar evitar as fraudes, exigindo prestações de contas.

 

 
 

FRAUDES NOS CONDOMÍNIOS

 

FONTE: www.superlogica.com

 

CONHEÇA ALGUMAS ABAIXO:

72% dos condomínios brasileiros já foram fraudados

 

Segundo enquete realizada pelo portal especializado em condomínios, Superlogica.com, com mais de 18 mil administradores cadastrados, 72% dos condomínios já foram de alguma forma fraudados. Especialistas afirmam que estes problemas explicam em parte o alto custo das taxas condominiais que estão impactando negativamente todo o mercado imobiliário. Alguns condomínios chegam a reduzir em 30% a taxa condominial após a contratação de auditoria e renegociação dos contratos.

O superfaturamento é a forma mais utilizada para dar desfalques nos cofres do condomínio: segundo os internautas 35% dos condomínios já tiveram problemas com notas fiscais frias e propina.
Segundo o Prof. Edson Luque, diretor da Elce Auditoria, os fraudadores sabem que com o superfaturamento é mais fácil ficar impune pois pagar mais caro não é crime. É preciso que fique caracterizado a propina para ajuizar uma ação de ressarcimento de danos.

Lincoln Amaral,especialista em gestão condominial, acredita que as fraudes começaram a crescer após a queda da inflação em 94, época na qual as empresas especializadas em administração de condomínios tinham um faturamento muito maior que o de hoje. "Empresas criativas conseguiram lançar novos produtos e recuperar suas receitas e as desonestas partiram para soluções ilícitas." completa Lincoln. As administradoras desonestas seguem um mesmo perfil: cobram taxas de administração inferiores às praticas pelo mercado e, após a contratação, aumentam gradualmente as despesas do condomínio desviando recursos.

Os sindicos também tem sua participação nos altos indices de fraudes. Existem síndicos especializados em dar golpes em condomínios: eles mudam para um condomínio, se elegem síndico, iniciam diversas obras de melhorias superfaturadas até o limite suportado pelos condôminos, quando a insatisfação fica evidente, procuram outro "condomínio vítima" e mudam-se ilesos.

A solução apontado por Edson é uma maior fiscalização das contas do condomínio pelos moradores, a contratação de auditoria mensal preventiva e mais atenção na escolha da empresa para administrar o condomínio. A regra é sempre desconfiar daquelas que praticam valores inferiores aos do restante do mercado.

O resultado completo da enquete pode ser acompanhado em FONTE: www.superlogica.com .

 

Quais são as obrigações de um síndico?

O síndico deve representar o condomínio em juízo ou fora dele, praticar os atos de defesa dos interesses comuns; exercer a administração interna da edificação, praticar os atos que lhe atribuírem as leis e a convenção, impor as multas estabelecidas na lei e na convenção, cumprir e fazer cumprir a convenção bem como executar e fazer executar as deliberações da assembléia; prestar contas à assembléia dos condôminos e manter guardada, durante o prazo de cinco anos, para eventuais necessidades de verificação contábil, toda a documentação relativa ao condomínio